quarta-feira, 31 de outubro de 2007

O Parto...

Pois é a maldadezinha da médica lá fez algum efeito, no dia seguinte, Feriado 1 de Dezembro, comecei a sentir umas dorzitas ao fundo da barriga e decidi ir ao hospital, liguei á minha mãe, como ela trabalha lá e fomos, prevenida claro, com mala e bagagens (mas deixei-a no carro), antes de entrar a enfermeira esteve a fazer as perguntas de rotina, e disse que de certeza que ficava, perguntou se tinha levado a mala e eu claro que sim, disse para ligar ao marido para ir, mas eu não liguei, pensei deixa ver no que isto vai dar… quando entrei uma médica super simpática (daquelas que adora estar a trabalhar aos feriados) mandou-me para o CTG, lá fui eu, para mal dos meus pecados não acusava contracções, mas como era possível não acusar se eu estava cheia de dores… a dilatação estava igual ao do dia da consulta 3 dedos, então mandou-me embora, vim tão furiosa, tão chateada.

No dia seguinte fui com a minha mãe fazer umas compras de natal, andamos, andamos e as dores cada vez pior, mas eu também não queria ir para o hospital, ia lá fazer o quê, se ontem não acusava hoje também não.

Á noite as dores começaram a ser mais fortes e seguidas, eram 2h da manhã fui tomar uma banhoca para ver se relaxava um pouco, mas não, cada vez pior, já não aguentava mais e pensei: tenho mesmo que ir ao hospital, de certeza que não é a mesma médica que lá está. Por isso… Disse ao meu marido para ficar em casa que eu ia lá com a minha mãe, pois podia vir embora outra vez…

E lá fomos, quando cheguei, parecia que tinham soltado a prisão das grávidas, só grávidas… eram 4h quando entrei a médica era um máximo, fez o toque e estava com 5 dedos, mandou-me logo para a sala de partos, bendita médica que não me mandou fazer o CTG. Liguei ao meu Papá para ir lá ter porque ia ser desta.

Quando fui para a sala de partos, veio a enfermeira e pôs os cintos e não acusava contracções, passei-me como é que era possível????????

Entretanto chegou uma amiga minha k é parteira lá no Hospital, não há nada melhor como estarmos rodeados por pessoas k conhecemos, e disse que como sou gordinha e tenho o útero invertido, não é muito fácil acusar, só quando as contracções são mais fortes é que acusa. Passado um bocado lá vem anestesista perguntar se eu queria epidural, e eu disse que não, porque sempre sonhei com um parto natural, para usufruir ao máximo aquele momento. Mas ela lá me deu a volta e então cedi, bendita epidural, aquilo faz milagres, agora aconselho a toda gente. Bem me tinha dito a minha médica “quando vais tirar um dente, tiras o dente sem anestesia????”, depois começaram a dar ocitocina para acelerar o parto.

Conclusão o piolho não descia, arrebentaram-me a bolsa de água e ele nada, eram 7h estava com a dilatação toda feita e ele entalado, não conseguia sair, entretanto a epidural deixou de fazer efeito, eu já me estava a passar, ás 10:30 lá chegaram á conclusão que era melhor ir para cesariana. Lá fui eu, a pensar que era chegar abrir, tirar o bebé e já está, mas não, o efeito da epidural não era quase nenhum e eu estava a sentir tudo o que os médicos estavam a fazer, então comecei mesmo a passar-me, (porque eles não se acreditavam que eu estava a sentir tudo), e lá me deram o cocktail (a máscara) e eu adormeci.

Concluindo tive um parto 2 em 1, mas no fim vale a pena, tudo passa, tudo se esquece, quando vemos o nosso bebé.

Quando o trouxeram para ao pé de mim, puseram-no logo a mamar, vinha com tanta fomita que agarrou logo no peito e mamou tão bem… foi uma sensação espectacular.

O meu Trakinas nasceu com 3930Kg e 50,5cm no dia 3 de Dezembro 2004 ás 11:18h. Precisamente no dia que fazia as 40semanas.

1 comentário:

Xana disse...

Bem, mais uma como eu, maldito ctg que não acusa as contracções que doêm tanto. Acabou tudo bem e é o melhor que nós temos de lembrar. E daqui a nda os nossos piolhitos já estão com 3 aninhos. UI UI.
Jinhos
Xana